quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

QUADRAS DO LISBOETA




Contruções de areia


Eu vejo pela burrice
O meu caminho pensado
Onde há burro há chatice
Que me faz pensar calado

Eu contigo aprendo pouco
Mas encontrei a razão
É que tu em vez de lingua
Tens a cauda do pavão

Se tu fores inteligente
Dás por isso num segundo
Não dizes p`ra toda a gente
Que sabes como vive o mundo

Tu buscas eu sei que buscas
Mas não é fácil encotrar
Porque aquilo que tu buscas
Já deu o que tinha a dar

Já Aleixo cantou
Coisas que na vida viveu
Mas nem isso o ajudou
Pois na miséria morreu

Diz-me tu para onde a ida
Que eu nasci sem o seber
Que fazer depois da vida
Isso sim queria apender


Fotos: Lourenço
Poema: António Henrique



7 comentários:

Maria Rodrigues disse...

Maravilhosas quadras.
Bom domingo
Beijinhos
Maria

:.tossan© disse...

Saudade de você amigo Lourenço!
Quanta qualidade na poesia e nas fotos. Coisa do Louro. Abração

São disse...

Gostei, mas porquê esta ausência tão grande?

Esperando que tudo esteja bem, deixo abraço com votos de bom fim de semana

Maria Rodrigues disse...

Meu amigo hoje passei para deixar um beijinho
Maria

Maria Rodrigues disse...

Boa noite amigo, passei para saber como está e deixar um beijinho
Maria

Maria Rodrigues disse...

Cá estou eu novamente para deixar um abraço.
Maria

Maria Rodrigues disse...

Meu amigo hoje venho especialmente para desejar a si e a todos os seus familiares e amigos, um Natal muito Feliz e que o novo ano seja repleto de alegria, saúde, paz e amor. “A Melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida.” (autor desconhecido)
Beijinhos
Maria

Image and video hosting by TinyPic